quinta-feira, 2 de junho de 2011

PAULO MACALÃO, A CHAMADA QUE DEUS CONFIRMOU (CAPÍTULO 8)

CAPÍTULO 8

NAS PISADAS DO MESTRE


     O trabalho evangélico da Assembléia de Deus em Brasília teve seu início em 19 de novembro de 1956. assessorado por vários servos do Senhor, o pastor Paulo Macalão traçou as metas de ação daquele trabalho iniciado com perseverança e fé. O primeiro culto foi realizado sob o trepidar e o rumor das máquinas que abriam clareiras e fixavam, no chão vermelho, os marcos das avenidas e ruas da futura Capital do Brasil.
    Ali o Evangelho florescia sobre o barro e se espalhava pelas amplidões, derramando-se em benignidade e esperança de salvação pelas estradas recém-abertas.
     A primeira assembléia de membros da igreja como sociedade religiosa foi realizada em 15 de junho de 1957, em sua sede provisória na Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, com a finalidade de empossar sua primeira diretoria e adquirir, assim, personalidade jurídica. Imediatamente após essa reunião, iniciou-se uma campanha destinada a angariar recursos para a construção do templo, cujo término foi previsto para 1963.
    Já em 1960, o pastor Paulo Leivas Macalão enviara ao então Presidente da República, Juscelino Kubistchek, um manifesto de congratulações pela criação de Brasília. O Presidente doou à Assembléia de Deus os lotes 33 e 34, na Avenida das Paróquias, atual Avenida W/5 Sul, Q 911, onde se deu início à construção da Catedral.
     Uma grande campanha financeira foi organizada em diversos Estados em favor dessa obra, onde foram nomeados tesoureiros que reuniam e enviavam as ofertas para o tesoureiro–geral, no templo de Madureira.
     Como era de prever, pela grandiosidade da obra, muitos foram as dificuldades enfrentadas no decorrer da construção. Os diversos pastores que, ao longo dos anos, foram se sucedendo na administração da Assembleia de Deus em Brasília (Ministério de Madureira), sentiram o quanto de esforços, súplicas a Deus, amor e perseverança aquela obra exigia.
     O próprio trabalho evangélico no nascente Distrito Federal apresentou sérios problemas. Havia movimentos evangelísticos iniciados por igrejas que não se apoiavam na sã doutrina.
     Para impedir que a proliferação de igrejas não-autorizadas continuasse, uma comissão constituída de oito pastores, entre eles Paulo Leivas Macalão e Alípio da Silva, fez pública a resolução da Convenção Geral, que decidira fundar a Convenção Regional das Assembleias de Deus de Brasília.
     As Assembleias de Deus do Distrito Federal deveriam estar unidas pela referida Convenção Regional, não sendo reconhecida qualquer uma que se recusasse à união – solução encontrada para o grave problema.
      A construção da Catedral avançou, impulsionada pela fé dos irmãos que oravam a Deus e davam as suas ofertas para que se concluísse mais um templo dedicado ao Rei dos reis. Puseram à venda flâmulas, maquetes e outros “souvenirs”, destinados à arrecadação de fundos para aquela construção.
     A planta da catedral foi idealizada pelo pastor Paulo Macalão. Inspirado na história da Igreja Primitiva, ele desenhou a planta com o formato de um peixe, pois esse tinha sido o símbolo que identificava os cristãos de então, sobretudo quando viviam ocultos nos labirintos subterrâneos das catacumbas de Roma, fugindo das perseguições.
    Quis o pastor Paulo revestir aquela moderna construção com uma das mais belas e puras significações do mundo cristão na Era Apostólica.
     Mas o homem que tanto lutara em prol daquela obra, só iria vê-la concluída poucos meses antes de ser convocado às regiões celestiais. Em junho de 1982, Brasília seria enriquecida com o mais importante e belo edifício já construído ali.
     O mais importante, porque nele se faz presente Aquele que é superior a todas as autoridades da Terra – o Senhor dos Exércitos. E o mais belo, porque dentro dele os anjos invisíveis passeiam e os remidos se reúnem em comunhão com Deus.
     Quem chega, por via aérea, à Capital, surpreende-se à primeira vista com a obra singular que surge em forma de peixe, como se, em pleno Planalto, uma grande baleia estivesse a tomar sol.
     No decorrer de sua vida, o pastor Paulo viajou a diversos países, participou de importantes eventos e realizou inúmeras obras para engrandecimento do trabalho do Senhor.
      Em 21 de abril de 1960, por iniciativa sua, o jornal evangélico “O Semeador” foi fundado, para semear as boas-novas e difundir entre os irmãos as maravilhas operadas por Deus no meio do seu povo.
      Em 17 de janeiro de 1965, realizou-se no templo de Madureira o enlace matrimonial do jovem Paulo Leivas Brito Macalão com a senhorita Edna Rego dos Santos.
     A cerimônia religiosa foi oficializada pelo pastor Alípio da Silva, e a benção nupcial foi impetrada pelo pai do noivo, pastor Paulo Macalão.
      Com a irmã Zélia, o pastor Paulo Macalão fiz muitas viagens ao Exterior, quando visitaram os Estados Unidos, a Suécia, a Inglaterra, a Espanha e Portugal.
     Como presidente da Comissão Brasileira Organizadora da 8a. Conferência Mundial Pentecostal, coube ao pastor Paulo entrar em contato, nos E.U.A., com o Reverendo Thomas F. Zimmermam, na época Presidente da Conferência Mundial Pentecostal. Ali, definiu-se a linha mestra de ação que nortearia a 8a. Conferência.
     No ano de 1967, o povo pentecostal do mundo inteiro esteve com os corações voltados para a cidade do Rio de Janeiro, pois sabia que, nos dias 18 a 23 de julho, milhares de salvos estariam aqui reunidos num só lugar com uma só mente, com um só desejo e com a mesma chama do Espírito Santo a arder nos corações, como no dia de Pentecoste!
     Noite após noite, o Maracanãzinho abrigou dezenas de milhares de almas vindas de vários países do mundo e dos Estados brasileiros. O Espírito Santo glorificou a Cristo! O sistema de Rádio e Televisão fez a cobertura do evento, talvez o maior ajuntamento pentecostal no Brasil, até aquela data.
     No dia do encerramento, cerca de 200 mil pessoas compareceram ao estádio do Maracanã. Com o uniforme nas cores nacionais, o coral de 2.000 mil vozes formou o desenho da Bandeira Nacional Brasileira.
     O reverendo L’Rauche, conhecido como “o Billy Graham da Coréia”, encheu o vasto ambiente com suas palavras ungidas pelo Senhor. Alexandre Tee, da Inglaterra, pregou sobre “O Espírito Santo transladando a Igreja”. O fogo sagrado inflamou a todos.
     Na oração final, o missionário Bernhard Johnson Júnior fez o apelo, e mais de uma centena de almas se rendeu aos pés do Senhor.
     Nos dias 31 de janeiro e 14 de fevereiro de 1971 realizaram-se dois cultos de confraternização, respectivamente, na Assembléia de Deus de Madureira e na de São Cristóvão.
     Em Madureira, no início do culto, o pastor Paulo Macalão passou a direção do trabalho ao pastor Túlio Barros Ferreira, que pregou a mensagem oficial da noite, falando dos esforços ininterruptos que o inimigo de nossas almas, Satanás, tem empregado para tentar dividir as Assembléias de Deus no Brasil; mostrou que o Leão da Tribo de Judá, nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, interferira em favor do seu povo, fazendo brotar nos corações o espírito conciliatório, e envergonhando o inimigo.
    O pastor Túlio Barros salientou que não existe mais a Assembléia de Deus do Ministério de Madureira e a assembléia de Deus do Ministério de São Cristóvão, e sim uma só igreja. Nesta atmosfera saturada pelo Espírito Santo, o culto foi encerrado.
   Semelhantemente, o Espírito de Deus pairava entre as centenas de irmãos que se reuniram na Assembleia de Deus em São Cristóvão, no culto de retribuição à visita feita a Madureira. Nesse culto ficou patente que a única finalidade das Assembleias de Deus no Brasil é arrancar as almas das garras de Satanás, para fazerem parte de um Reino que tem sua sede no Céu, onde não há divisões.
     O pastor Paulo Macalão sempre reconheceu a importância do estudo sistemático da Bíblia, e por isso, apoiou a fundação do Instituto Bíblico Ebenezer. Como instituição cultural posta a serviço da Igreja, o IBE foi inaugurado em 19 de outubro de 1972.
     Em seu grande zelo pelas almas, o pastor Paulo nunca deixou de advertir os alunos desse instituto sobre o perigo de virem a perder a graça de Deus, assoberbados pela cultura. Ele ensinava que o melhor aluno era aquele que completava os seus estudos na escola da oração.
     Outra instituição de caráter filantrópico fundada pela Igreja de Madureira foi a Escola São Paulo, funcionando ao lado do templo e oferecendo anualmente vários cursos aos irmãos.
     Na história do Evangelho no Brasil, particularmente na história do trabalho empreendido sob o pastorado de Paulo Leivas Macalão, poucos nomes serão tão vivamente lembrados e guardados com tanto carinho como o da irmã Estacília, aquela polonesa naturalizada brasileira, cuja vida Deus usou para manifestar as suas maravilhas.
      Poucas servas de Deus terão sido tão poderosamente usadas no Brasil como essa irmã, que durante 33 anos intercedeu por todos os que necessitavam de suas orações. Ainda hoje o seu nome representa muito para aqueles que não a esqueceram, sobretudo para os que a visitaram em sua residência, na Travessa Casemiro de Abreu, nº 16, em Marechal Hermes.
   Ela era um vaso do Senhor que vivia constantemente ligado com o Espírito de Deus, e Deus a usava maravilhosamente para falar ao seu povo, e muitos foram curados por Jesus através de suas orações. De quinze em quinze dias, às quintas-feiras, sua casa era tomada por dezenas de pessoas que buscavan a cura divina.
     A irmã Estacília orava, impunha as mãos e o Senhor operava milagres sobre todos aqueles que criam no poder do seu Nome. A irmã Estacília dormiu no Senhor em 12 de setembro de 1967.
Jefferson Magno Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Clique na imagem)

(Clique na imagem)

Visitantes recentes

Top 10 Members

.

.