sexta-feira, 27 de maio de 2011

PAULO MACALÃO, A CHAMADA QUE DEUS CONFIRMOU (CAPÍTULO 3)

Jefferson Magno Costa
Capítulo 3 

A OBRA EM EXPANSÃO

     Vindo da região Norte, o irmão Heráclio de Menezes passou a frequentar a casa do irmão Eduardo de Souza Brito. Ali, pouco tempo depois, fundou uma Escola Dominical.
     No dia 30 de abril de 1924, os irmãos reunidos na casa da irmã Florinda Brito, resolveram organizar, ilumiados pelo Espírito Santo, a primeira Assembléia de Deus no Rio de Janeiro, e assim, de comum acordo, elegeram o irmão Heráclio de Menezes como pastor interino, João Nascimento como diácono, e Paulo Leivas Macalão como secretário.
     Era a Tocha de Deus que se acendia para iluminar o sudeste de Brasil.
     O irmão Heráclio ficou responsável pela vinda ao Rio de Janeiro do missionário Gunnar Vingren (que se encontrava no Pará), para assumir o pastorado da igreja em São Cristóvão.
     A primeira pessoa a ser batizada com o Espírito Santo na igreja recém-fundada foi a irmã Antonieta de Faria Miranda, que em seguida recebeu o dom de profecia. O batismo dessa irmã causou sensação e espanto geral.
     O batismo nas águas era realizado na praia do Caju. Pouco tempo depois, o missionário Gunnar Vingren, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, batizou nas águas o irmão Paulo Leivas Macalão, sendo ele o segundo crente a constar do rol de membros da Assembléia de Deus em São Cristóvão.
     Não demorou muito e o Espírito Santo veio sobre ele e o batizou com fogo, revestindo-o de poder, e dando-lhe sabedoria e autoridade para testemunhar de Jesus em qualquer lugar para onde o Mestre o mandasse.
    Aquela data não mais seria esquecida: 3 de novembro de 1924 – dia de maravilhas, de indescritível contentamento, ocasião em que Paulo Macalão resolvera dedicar-se inteiramente à causa do Evangelho. Ele se colocava na presença do Senhor como um jovem destemido, pronto a combater o mal, pois a Palavra penetrara em seu coração, fazendo nascer em sua alma o desejo de pregar o Evangelho a toda criatura.
     Como filho de um general, seu pai desejava muito vê-lo militarmente, fardado. Mas Paulo Macalão estava decidido a pagar qualquer preço para cumprir as ordens do General dos generais, Senhor de anjos, arcanjos, querubins, e de homens destemidos.
     Ele se esforçaria para ser um varão valoroso e combater a iniquidade e as trevas com as armas da luz. Cingiria os seus lombos com a verdade, vestiria a couraça da justiça, calçaria os pés na preparação do Evangelho da paz e, escudado pela fé, tendo sobre a cabeça o capacete da salvação, empunharia a espada do Espírito, avançando como um soldado disciplinado e valente, para combater em nome do Senhor dos Exércitos, Rei da Terra e dos Céus.
     Os irmãos de Realengo e Bangu, bairros conhecidos como “subúrbios da Central”, convidaram o irmão Paulo a visitar os seus lares e alguns pontos de pregação, onde o Evangelho estava sendo poderosamente pregado, fazendo a salvação e a esperança nascer nos corações.
     E esta foi mais uma grande providência de Deus para com o seu servo, pois dessa convivência, variada e íntima, Paulo Macalão, que ocuparia todos os anos de sua vida pastoreando a Igreja do Senhor, obteria um valiosíssimo conhecimento da natureza da Seara do grande Pastor.
     Não era mais o filho do general que ali estava, e sim o futuro pastor de almas, o irmão em Cristo e pregador do Evangelho, Paulo Leivas Macalão.
     Em São Cristóvão, alem da residência do irmão Eduardo, serviam como pontos de pregação uma casa na Rua Senador Eusébio, a quitanda da irmã Rosa Rodrigues, na Rua 25 de Março, nº12, e a casa da irmã Amélia Monteiro. Isso nos primeiros meses de 1924.
     Em meados desse mesmo ano, com a chegada do missionário Gunnar Vingren, os irmãos alugaram um salão na Rua Escobar nº57, onde se estabeleceu a sede da Igreja. Foi a partir dessa época que o irmão Paulo Leivas Macalão começou a testificar de Jesus.
     Posteriormente, com a chegada do missionário Samuel Nyströn, resolveram alugar um salão maior, situado na Rua Figueira de Melo, nº363, com capacidade para 40 pessoas. Nesse salão nasceu a primeira banda de música das Assembléias de Deus.
     O irmão Paulo tocava o seu violino e a irmã Zélia cantava no coro. Não sabiam os dois do grandioso futuro que o Senhor reservara para eles. (Continua)
Jefferson Magno Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Clique na imagem)

(Clique na imagem)

Visitantes recentes

Top 10 Members

.

.