quarta-feira, 30 de março de 2011

ASSEMBLEIA DE DEUS NA BAHIA: RESGATANDO VIDAS E ASTEANDO A BANDEIRA ENSANGUENTADA DE CRISTO EM TERRITÓRIOS QUE ANTES FORAM DECLARADOS DE SATANÁS

Jefferson Magno Costa
      (Reportagem realizada em maio 1984 para o jornal MENSAGEIRO DA PAZ, e republicada neste blog como contribuição histórica sobre o Centenário das Assembleias de Deus no Brasil).

     A expansão e consolidação das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil ocorreram a partir da propagação da chama pentecostal trazida pelos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren. O batismo com o Espírito Santo e o falar em outras línguas passaram a ser a marca registrada das Assembleias de Deus.
     Pregando o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo e fazendo novos discípulos, os missionários suecos foram pouco a pouco acendendo, em meio à vastidão das terras brasileiras, os luminares da salvação.
      O Movimento Pentecostal se apossou de regiões espiritualmente áridas e incultas, e templos foram sendo erguidos – como tochas acesas ao longo do caminho que conduz à Jerusalém eterna.
     Porém, como observou o escritor Emílio Conde, paralelamente a esse crescimento, “cresceram também os problemas que só o Espírito Santo podia solucionar. Cresceram os ataques de Satanás à Igreja de Cristo; cresceram os perigos para o grande exército divino, mas cresceu também o cuidado de Deus para com o seu povo, cresceu a vigilância do Espírito Santo sobre a Seara que se estende em todas as direções, cresceu e agigantou-se a vitória da causa de Cristo.
     “O Espírito Santo tem sido o responsável por todo esse progresso. Sua direção é manifestada, e o trabalho efetuado não pode ser atribuído à vontade exclusiva dos homens que foram usados nessa gigantesca Obra que atualmente está presente em todo o Brasil. Um movimento que desde o seu início foi combatido, odiado, desprezado, caluniado, desfigurado e excomungado, para alcançar o prestígio e a admiração que hoje desfruta, não pode ser movido por ideias e forças humanas, mas o próprio Deus é o centro de atração que o inspira e eleva”.

     A PODEROSA TRAJETÓRIA DO EVANGELHO EM SALVADOR
     Na cidade de Salvador, BA, na mais antiga metrópole e primeira Capital do Brasil, o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo tem florescido por entre as ruas históricas da Cidade Alta e da Cidade Baixa, sendo pregado por homens e mulheres simples e humildes, cujos pés caminham sobre as pedras irregulares de sinuosas ruas e ladeiras – as mesmas pedras outrora pisadas pelos governadores-gerais e pelos nobres, pela gente simples e pelos escravos: pedras que guardem o eco de um Brasil já extinto.
     Na história da implantação do Evangelho em Salvador, memorável foi a noite do dia 27 de maio de 1930, quando, na residência do missionário Otto Nelson, na Rua Carlos Gomes, 402, realizou-se o culto de fundação da primeira Igreja Assembléia de Deus nessa que já foi conhecida como “a cidade d’El Rei”.
     Nas mesmas terras onde, há mais de 400 anos, foram pronunciadas aos ouvidos dos indígenas as primeiras palavras de um idioma desconhecido, a Palavra de Deus foi poderosamente anunciada de forma clara e perfeitamente inteligível.
     Nas casas que se estendem na orla do mesmo mar onde foi escrito o primeiro documento histórico sobre o Brasil – esse imenso mar de onde os índios viram inesperadamente surgir estranhos navios de velas brancas e altas -, vozes resgatadas por Jesus Cristo passaram a entoar louvores de gratidão a Deus.
     Na cidade que surgiu do meio das matas pontilhadas de tabas, do meio da selva de árvores beijadas pela brisa marinha, a Palavra de Deus foi semeada e regada pelas orações dos salvos e reunidos pelo sangue de Jesus Cristo.
     E foi então que as hostes de Satanás passaram a ser poderosamente atacadas pelo Evangelho. A partir de 1930, Salvador – que é conhecida também como a capital dos cultos afro-brasileiros – tem ouvido palavras de esperança e salvação pronunciadas pelo grande número de salvos na pessoa de Jesus.
     A Congregação que começou louvando ao Senhor na Rua Carlos Gomes, prosseguiu glorificando a Deus na Rua dos Capitães, 43, na Rua Dr. Seabra, 75, e depois na Ladeira do Boqueirão, nº 7.
     Quando, a 17 de agosto de 1941, o templo da Rua Lima e Silva, no Bairro da Liberdade, foi inaugurado, grande parte da população de Salvador já havia se conscientizado de que entre eles vivia um povo diferente – um povo que cantava, orava e pregava o Evangelho a toda e qualquer pessoa, inclusive a bêbados, capoeiristas e malandros.
     O crescimento da obra de Deus na cidade de Salvador levou o missionário Otto Nelson e evangelizar também o interior do Estado da Bahia.
     Porém, desde 1926, os nomes de Joaquina de Souza Carvalho, Teodoro Santana e João Pedro eram conhecidos em alguns municípios baianos. Eles haviam crido e pregado sobre o batismo com o Espírito Santo, e, através deles e dos irmãos Catarino Varjão e Silvério Campos, o trabalho pentecostal se expandiu pouco a pouco na terra de Castro Alves e Rui Barbosa.
     Durante seis anos o irmão Otto Nelson serviu ao Senhor no Estado da Bahia, tendo presidido, em 27 de abril de 1936, a primeira Convenção Estadual. Tempos depois viajou para a Suécia, sendo substituído por Aldor Peterson.
     Em março de 1940, no decorrer da realização da Primeira Semana Bíblica, João de Oliveira foi recebido em Salvador como pastor auxiliar. Nesse mesmo ano realizou-se mais uma Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil. Em junho de 1943, durante a realização de uma Escola Bíblica presidida pelo missionário Nels Nelson, a Assembleia de Deus em Salvador teve a sua primeira grande experiência com a literatura produzida na CPAD: foram distribuídos na cidade 100 mil folhetos, alem de centenas de exemplares do jornal MENSAGEIRO DA PAZ.
     Em janeiro de 1950, o missionário Aldor Peterson foi substituído pelo pastor João Batista da Silva. O trabalho no interior do Estado há muito vinha contando com o inestimável apoio e orientação do missionário Eurico Bergstén, que ainda hoje, após muitos anos de dedicação à Obra de Deus no Brasil, presta relevantes serviços às Assembleias de Deus.
     Quando, em 1960, o pastor Rodrigo Silva Santana assumiu a presidência da Assembleia de Deus no Estado da Bahia, em diversos pontos da cidade de Salvador passou-se a ser visto um número cada vez maior de homens e mulheres purificados pelo sangue de Cristo e revestidos do Espírito de Deus, a pregar o Evangelho no interior de templos e congregações, e nas ruas.
     E então a cidade de Salvador, com suas esplêndidas construções do período colonial, tornou-se ainda mais bela. (O templo da AD em Ladeira do Boqueirão, fundado por Otto Nelson, reflete esse período.) Os bairros, avenidas, ruas e pontos históricos de Salvador passaram a ser habitados e transitados por um povo que tem em Jesus o centro e a razão de suas vidas.
     Hoje, é comum os transeuntes depararam-se com um ou vários crentes (a caminho da igreja, indo ou vindo do trabalho, do comércio, da evangelização) transitando próximo ao Largo do Pelourinho, da Praça da Sé, do Elevador Lacerda, do Mercado Modelo (três vezes incendiado, três vezes reconstruído), da Ladeira do Tabuão, da Feira de Água dos Meninos, da Baixa do Sapateiro, do Bairro da Liberdade, do Largo das Sete Portas, e outros – o grande exército de Deus que prega o Evangelho aos prisioneiros da agonia da noite espiritual que há séculos se abateu sobre a cidade de Salvador.
     São 25 mil membros da Assembleia de Deus da capital, que em 104 congregações elevam suas súplicas e seus cânticos de adoração ao Deus Todo-poderoso, Àquele que venceu a Satanás e retém em suas mãos as chaves da morte e do inferno.

CRESCENDO E LIBERTANDO OS CATIVOS
     A cidade de Salvador é marcada por um catolicismo tradicional (existem, em toda a cidade, cerca de 365 igrejas católicas – “grávidas de ouro”, na expressão de Jorge Amado), e pelo grande número de praticantes do candomblé e da umbanda, porém, na capital da Escravidão Espiritual, o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo está quebrando as cadeias satânicas, instaurando o reinado da luz na Cidade Negra da Bahia, lançando as sementes de salvação e paz em meio às avenidas e ruas onde a miséria e a dor são comuns, estampando-se entre arranha-céus e casas coloniais.
     O sertão baiano também tem sofrido terrivelmente a influência da idolatria. Neste aspecto, as cidades de Monte Santo e Bom Jesus da Lapa são os pontos mais críticos do Estado da Bahia. Porém, segundo o pastor Rodrigo Santana, em Bom Jesus da Lapa há um grande trabalho da Assembleia de Deus de Salvador.
     Recentemente, o MENSAGEIRO DA PAZ noticiou que, em Paratinga, BA, o padre daquela região proibira o sepultamento de crentes no cemitério local. (O corpo de um irmão ficou insepulto e exposto na praça durante 52 horas.) A notícia repercutiu nas principais cidades do país, despertando a atenção de políticos e o interesse da imprensa secular.
      Uma caravana composta de quatro ônibus transportou 170 crentes da AD em Salvador, que ralizaram em Paratinga uma série de cultos evangelísticos, distribuíram mais de dez mil folhetos evangélicos e 300 exemplares do MENSAGEIRO DA PAZ que noticiara a perseguição de crentes. Houve 48 decisões por Cristo naquela localidade. Na ocasião, o padre confessou-se arrependido do que fizera, mas as autoridades solicitaram o seu afastamento daquela paróquia.
     O pastor Rodrigo Silva Santana, falando ao MENSAGEIRO DA PAZ, tornou a salientar que “aqui no Estado da Bahia, o Evangelho continua triunfando, porque o Evangelho é poder de Deus, e toda e qualquer força que se levantar contra ele, só tem a perder na batalha, porque a vitória é nossa em Cristo Jesus”.
     Em todo o Estado da Bahia, são 80 mil almas salvas e remidas pelo sangue de Jesus, que se reúnem em 267 igrejas. O pastor Rodrigo é assessorado por 150 pastores e evangelistas, 1500 presbíteros e 2000 diáconos. Em todo o Estado são realizados cerca de 5344 cultos públicos semanais, e reuniões de oração e doutrina. Na capital, a igreja realiza, anualmente, cerca de 2000 batismos – aproximadamente 5000 em todo o Estado. Ano passado (1983), 1200 irmãos foram batizados com o Espírito Santo.
     O Departamento de Escola Dominical é um dos maiores, dentre as igrejas Assembleias de Deus do Nordeste. Ano passado foram matriculados 12.696 alunos. Os trabalhos contaram com 5433 visitantes, e o ensino foi ministrado por 712 professores.
     O Departamento de Louvor da Assembleia de Deus no Estado da Bahia conta com sete bandas de música, 4500 corais e cerca de 2000 conjuntos.
     A mocidade da Assembleia de Deus em Salvador está firme e constante na Obra do Senhor Jesus. A irmã Ivonilde Buarque de Gusmão Bergstén – coordenadora do Deptº Infantil da AD em Salvador – declarou ao MENSAGEIRO DA PAZ que todos os bairros nobres de Salvador foram evangelizados pela mocidade, numa operação que envolveu dezenas de jovens, quando foram distribuídos milhares de folhetos evangélicos. “As pessoas ricas de Salvador têm ido para o candomblé ou para os terreiros de umbanda, pois eles não querem sair lá do Bairro da Graça, da Pituba e outros, para vir assistir a um culto aqui no Bairro da Liberdade. Porém, se eles não vêm a nós, nós iremos a eles”, declarou a irmã Ivonilde.
    Acerca desse trabalho, comentou o pastor Rodrigo: “Nós damos graças a Deus porque o Evangelho tem penetrado não só na classe humilde e na classe média de Salvador, mas já começa a penetrar na alta classe, e nós estamos fazendo tudo para organizar congregações nos chamados bairros nobres, com o intuito de ali divulgarmos a Palavra de Deus, pois sabemos que as pessoas da alta classe têm alma e precisam de salvação, e só há salvação em Cristo Jesus”.
     Recentemente a igreja realizou, no Ginásio de Esportes Balbininho, sob a presidência do pastor Rodrigo Santana, o XII Congresso da Mocidade do Estado da Bahia, que desenvolveu o tema: “Jovens sem medo em dias escuros”. A mensagem de Deus foi entregue pelo evangelista Gilvan Rodrigues (que pregou em todas as noites e ministrou estudos bíblicos), pelo pastor Abraão de Almeida (que falou sobre Israel e as profecias) e o pastor Jabes Alencar.

     As mensagens evangelísticas tiveram como tema: A Segunda Vinda de Cristo; Cristo, o único poder; A verdadeira paz, e O poder do Sangue de Jesus. Cerca de 300 pessoas se decidiram por Cristo, e diversos irmãos foram batizados com o Espírito Santo. Dentre as pessoas que aceitaram a Cristo como Salvador estava uma jovem que planejava suicidar-se na noite em que Deus a levou para ouvir a sua Palavra.
     O Governador do Estado, João Durval Carneiro, foi representado pelo seu acessor. Estiveram presentes Obreiros e irmãos de diversos municípios de Bahia, além de um coral jovem de 300 vozes, bandas de música, conjuntos musicais e cantores.
     Em termos de assistência social, a SOBAD - Sociedade Beneficiente da Assembléia de Deus – tem socorrido milhares de irmãos necessitados, prestando um relevante serviço à comunidade evangélica de Salvador.
     A igreja tem tido sempre um bom relacionamento com os sucessivos governos do Estado. Recentemente, o pastor Rodrigo Silva Santana recebeu um convite para introduzir a Bíblia Sagrada na Assembleia Legislativa. Na ocasião, entregou uma poderosa mensagem da parte de Deus, falando da grandeza das Sagradas Escrituras e de quão valioso é observarmos os seus preceitos.
     Distribuindo mensalmente dez mil MENSAGEIRO DA PAZ, a Assembléia de Deus no Estado da Bahia ocupa o 2º lugar entre as igrejas que acreditam no poder da mensagem impressa. Nesse particular, a direção da CPAD parabeniza as congregações de Pirajá, Plataforma e Boqueirão – as três primeiras colocadas, no Estado da Bahia, em 1983 na distribuiçõa do Órgão Oficial das Assembléias de Deus no Brasil.
     O escritor baiano Jorge Amado escreveu certa vez que, em Salvador, “as pedras com que os escravos calçaram as ruas, quando o sol as ilumina ao meio-dia, têm laivos de sangue”. Sangue escravo que correu sobre elas nos dias de ontem. Mas as marcas dessa longínqua escravidão estão sendo apagadas pela aurora de luz redentora que se irradia das vozes dos irmãos que pregam o Evangelho, suplicam e entoam hinos de adoração a Deus – cânticos espirituais que se elevam da Congregação dos justos às alturas celestes, submergindo e silenciando os toques de atabaques nos terreiros de candomblé, que ressoam terrivelmente dentro da noite.

A ORAÇÃO QUEBRA AS CORRENTES DE SATANÁS
     As irmãs do Círculo de Oração da AD em Salvador são responsáveis por um importantíssimo trabalho de evangelização. Elas evangelizam de casa em casa, compram terreno, alugam ou constroem salões onde os novos convertidos passam a se reunir para glorificarem a Deus. Fazendo uso do dinheiro das ofertas do Círculo de Oração, as irmãs já abriram e entregaram ao ministério da igreja, sete trabalhos registrados em ata.
     A irmã Maria Andrelina, esposa do pastor Rodrigo Santana, e dirigente geral dos Círculos de Oração das Assembléias de Deus em Salvador, afirmou que nos trabalhos do Círculo de Oração, o Senhor continua curando, salvando e batizando com o Espírito Santo. “Quando estamos orando, estamos realmente falando com Deus. A oração é a chave que nos permite abrir as portas do Céu”, disse a irmã Andrelina.
     Na grande Salvador, há trabalhos do Círculo de Oração de segunda a sábado. A luta contra Satanás é travada todos os dias. A irmã Andrelina, juntamente com as irmãs que a assessoram, já orou por inúmeras pessoas que antes eram prisioneiras de Satanás, mas hoje estão libertas pelo sangue de Jesus.
     Várias pessoas conhecidas como pais-de-santo e mães-de-santo têm aceitado a Cristo como Salvador, e hoje pregam publicamente a transformação operada pelo poder de Deus.
     A obra de Deus tem crescido na cidade de Salvador, como fruto da inegável liderança inspirada pela sabedoria de Deus, e como resposta às inúmeras súplicas que se elevam ao Trono da Graça.
     Em toda a cidade, está formada uma corrente de oração que se estende da Estrada da Liberdade a São Caetano, Cidade da Palha, Itapagipe, Plataforma, Lobato, Itacaranha, Praia Grande, Periperi, Contos, Paripe e outros – uma poderosa corrente de oração que sobe a um céu de admirável beleza, rumo ao trono de Deus.
     A AD em Salvador tem-se empenhado e acredita na ação evangelístico-missionária. É o que se evidencia das palavras de seu líder, pastor Rodrigo Silva Santana:
     “A responsabilidade das Assembléias de Deus no Brasil é muito grande, no que tange à Obra Missionária. Não obstante as dificuldades surgidas ultimamente, não devemos desanimar nessa aspecto, porque reconhecemos que o mundo espera muito do Brasil. Estamos vivendo os últimos dias da história da Igreja aqui na Terra.
     “Sabemos que Jesus não tardará a voltar. Portanto, não devemos medir sacrifícios, mas sim procurarmos empreender todo esforço na conquista de almas para o Reino de Deus. Ninguém deve dormir mais nessas últimas horas que nos restam. Minha palavra a todos os evangélicos do Brasil é esta: trabalhem enquanto é dia, pois a noite vem, quando nada mais se poderá fazer”.
     E será tão-somente através das constantes lutas do rebanho de Deus que se encontra nessa histórica cidade; será tão-somente através das repetidas vitórias do reino da Luz sobre o reino das Trevas, que a Capital da Bahia, transformada pelo florescimento do Evangelho em seus bairros pobres, em suas ruas coloniais e em suas largas avenidas abertas diante de edifícios modernos, poderá ser vista e saudada pela palavra exaltada e lírica do mais ilustre dos seus filhos – Rui Barbosa:
     “Cidade augusta, empinada nestas encostas arredondadas e meigas como regaço de fada, verde ninho murmurado de eterna poesia, debruçada entre as ondas e os astros; cidade ilustre, diadema de estrelas, banhada de bênçãos, coberta de glória, prossegues a tua andada luminosa pela vereda da tua predestinação, saudada e festejada com respeito e carinho, dando sempre ao Brasil, de que foste berço e és orgulho, os conselhos da tua clarividência, o exemplo da tua prudência, os anseios do teu civismo, o sangue do teu sacrifício, sempre digna, sempre resoluta, sempre devotada, sempre heróica, sempre Cidade do Salvador”.
Jefferson Magno Costa

2 comentários:

  1. Gostaria de falar com o Sr. por email.

    ResponderExcluir
  2. gostaria de saber qual referência eu coloco se eu citar um trecho de um paragrafo desse belo texto no livro que estou a escrever sobre nossa igreja. Seria um recorte do mensageiro da paz ou tem um livro com toda essa sua publicação no bllog?

    ResponderExcluir

(Clique na imagem)

(Clique na imagem)

Visitantes recentes

Top 10 Members

.

.